Directório União Europeia

"Baleia" de Londres custa 920 milhões ao JPMorgan

O banco norte-americano pagará 920 milhões de dólares a reguladores britânicos e norte-americanos por não ter tomado as medidas de controlo adequadas e por ter fornecido informações incompletas.

O JPMorgan pagará 920 milhões de dólares (perto de 687 milhões de euros) a quatro reguladores britânicos e norte-americanos no caso que ficou conhecido como a "baleia de Londres", de acordo com a agência Bloomberg.

Com este acordo, o banco norte-americano tenta pôr fim ao desastre que lhe causa perdas superiores a 6,2 mil milhões de dólares e danificou a reputação da instituição como gestor de activos de risco.

Na origem das multas dos reguladores esteve uma falha na implementação de medidas de controlo e o fornecimento de informação incompleta aos reguladores.

A unidade bancária continua a ser investigada pelas perdas registadas na unidade que detém em Londres. O departamento de justiça norte-americano e a comissão de negociações de produtos futuros estão entre as instituições que continuam a investigar o JPMorgan.

As perdas superiores a 6,2 mil milhões de dólares conduziram à acusação de dois antigos "traders", esta semana, e à saída de, pelo menos, quatro gestores seniores do banco. Também o CEO do JPMorgan, Jamie Dimon viu o salário reduzido para a metade, refere a Bloomberg.

Após ser conhecido o valor das perdas causadas pelas apostas do "tradder" Bruno Iksik, que ficou conhecido como "baleia", pelos elevados montantes que envolviam, o banco reapresentou resultados. O valor de mercado do JP Morgan caiu perto de 51 mil milhões de dólares.

O banco reapresentou resultados e o valor no mercado caiu 51 mil milhões depois de divulgadas as más apostas do "trader" Bruno Iksil, que ficou conhecido como "baleia" devido, devido aos elevados montantes das suas apostas.

http://www.jornaldenegocios.pt

Share

© Directório União Europeia 2013 | Site desenvolvido por Webtraços, Lda.

Top Desktop version