Directório União Europeia

CE divulga previsões económicas de inverno de 2019

Segundo a Comissão Europeia (CE), a Economia na Europa deverá crescer pelo sétimo ano consecutivo em 2019, com previsões de expansão em todos os Estados-Membros.

O ritmo global de crescimento deverá ser moderado, em comparação com as elevadas taxas dos últimos anos, e as perspetivas estão sujeitas a grandes incertezas.

CRESCIMENTO ECONÓMICO

A atividade económica foi mais moderada no segundo semestre do ano passado devido ao abrandamento do crescimento do comércio mundial, a incerteza minou a confiança em alguns Estados-Membros e a produção foi afetada por fatores internos temporários, tais como perturbações na produção automóvel, tensões sociais e incertezas em matéria de política orçamental.

Em consequência, o crescimento do produto interno bruto (PIB), tanto na área do euro como na UE, baixou para 1,9 % em 2018, contra 2,4 % em 2017 (Previsões do outono: 2,1 % para a UE-28 e para a área do euro).

A dinâmica económica no início deste ano era moderada, mas os dados fundamentais continuam a ser positivos. O crescimento económico vai prosseguir, ainda que mais moderadamente.

A economia europeia continua a beneficiar de melhores condições do mercado de trabalho, de condições de financiamento favoráveis e de uma orientação orçamental ligeiramente expansionista.

Segundo as previsões, o PIB da área do euro deverá crescer 1,3 % em 2019 e 1,6 % em 2020 (Previsões do outono: 1,9 % em 2019; 1,7 % em 2020). As previsões de crescimento do PIB da UE também foram revistas em baixa, para 1,5 % em 2019 e 1,7 % em 2020 (Previsões do outono: 1,9 % em 2019; 1,8 % em 2020).

Entre os Estados-Membros de maior dimensão, as revisões em baixa do crescimento em 2019 foram significativas no caso da Alemanha, da Itália e dos Países Baixos. Muitos Estados-Membros continuam a beneficiar de uma procura interna robusta, apoiada também por fundos da UE.

INFLAÇÃO

A inflação dos preços no consumidor na área do euro diminuiu no final de 2018 devido a uma queda acentuada dos preços da energia e a uma diminuição da inflação dos preços dos produtos alimentares.

A inflação subjacente, que exclui os preços da energia e dos produtos alimentares não transformados, foi moderada ao longo do ano, apesar de um crescimento salarial mais rápido.

A inflação global (IHPC) foi, em média, de 1,7 % em 2018, contra 1,5 % em 2017. Uma vez que os pressupostos relativos aos preços do petróleo para este ano e o próximo ano são agora inferiores aos do outono, prevê-se que a inflação na área do euro atinja um valor moderado, de 1,4 % em 2019, antes de acelerar ligeiramente para 1,5 % em 2020.

Para a UE, está prevista uma inflação média de 1,6 % este ano e, em seguida, 1,8 % em 2020.

INCERTEZAS

As perspetivas económicas são afetadas por um elevado nível de incerteza e as projeções estão sujeitas a riscos de revisão em baixa. As tensões comerciais que pesam no sentimento económico desde há algum tempo diminuíram ligeiramente, mas continuam a ser fator de preocupação.

A economia chinesa poderá estar a abrandar mais acentuadamente do que o previsto e os mercados financeiros mundiais, bem como muitos mercados emergentes, são vulneráveis a mudanças bruscas do sentimento de risco e das expectativas de crescimento. Para a UE, o processo do «Brexit» continua a ser uma fonte de incerteza.

REINO UNIDO, UMA HIPÓTESE PURAMENTE TÉCNICA PARA 2019

Tendo em conta o processo de saída do Reino Unido da UE, as projeções da CE para 2019 e 2020 assentam numa hipótese puramente técnica de status quo dos padrões comerciais entre a UE-27 e o Reino Unido. Esta hipótese serve apenas para efeitos de previsão e não tem qualquer influência sobre o processo em curso no contexto do artigo 50.º.

Saiba mais:

| Previsões Económicas Intercalares do Inverno de 2019

| PORTUGAL

Fonte: Rep. CE Portugal

Share

© Directório União Europeia 2013 | Site desenvolvido por Webtraços, Lda.

Top Desktop version