Directório União Europeia

EUROSTAT revela diferenças de emprego entre homens e mulheres na UE

De acordo com um estudo do EUROSTAT, em 2017 a taxa de emprego das mulheres de 20 a 64 anos (66,5%) foi 11,5 pontos percentuais (pp) menor que a dos homens de 20 a 64 anos (78,0%) na União Europeia (UE).

Por outras palavras, a diferença de emprego entre homens e mulheres na UE situou-se em 11,5 pp.

Entre os Estados-Membros da UE, o diferencial de emprego entre homens e mulheres foi mais baixo na Lituânia (1,0 pp), na Finlândia (3,5 pp), na Suécia (4,0 pp) e na Letónia (4,3 pp).

No extremo oposto da escala, a maior diferença de emprego entre homens e mulheres foi observada em Malta (24,1 pp), seguida pela Itália (19,8 pp) e pela Grécia (19,7 pp).

TENDÊNCIA DECRESCENTE NA MAIORIA DOS ESTADOS-MEMBROS DA UE

Em comparação com há cinco anos, o diferencial de emprego entre homens e mulheres diminuiu na UE em 0.7 pp (de 12.2 pp em 2012 para 11.5 pp em 2017).

A diminuição ocorreu em 16 Estados-Membros da UE.

Entre 2012 e 2017, os maiores decréscimos do hiato no emprego entre homens e mulheres registaram-se em Malta (-7,3 pp) e no Luxemburgo (-6,5 pp), seguidos da Eslováquia (-2,7 pp) e da Alemanha (-2,6 pp).

No entanto, a diferença de emprego entre homens e mulheres aumentou durante este período em 11 Estados-Membros da UE. O maior aumento foi registado na Hungria (+4,2 pp), seguido da Irlanda (+3,5 pp) e da Bulgária (+2,4 pp).

A diferença de emprego entre homens e mulheres permaneceu estável na Eslovénia (com um défice igual a 7,2 pp em 2012 e 2017).

As estatísticas adicionais baseadas nas diferenças de género estão disponíveis no artigo publicado ‘Estatísticas de Género’.

Para saber mais contacte: ​​Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Fonte: EUROSTAT

Share

© Directório União Europeia 2013 | Site desenvolvido por Webtraços, Lda.

Top Desktop version