Directório União Europeia

Directório União Europeia

Indicadores da OCDE sobre a Educação em 2017

Conheça os indicadores sobre o estado da educação no mundo, incluindo Portugal, divulgados pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico.

A publicação Education at a Glance 2017 disponibiliza informação chave sobre os resultados das instituições de educação; recursos humanos e financeiros investidos na educação; acesso, frequência e progresso na educação; e o ambiente e organização escolares. O relatório da OCDE apresenta, pela primeira vez, um capítulo dedicado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Consulte o Sumário em Português

Os licenciados em áreas relacionadas com a ciência são os que têm maior empregabilidade, ainda que não de uma forma generalizada;
Hoje em dia, os adultos têm geralmente mais estudos, mas alguns continuam a ficar para trás;
A despesa total com o ensino superior tem superado o ritmo das matrículas de estudantes;
Salários sem recuperação e envelhecimento da mão-de-obra estão a afetar a profissão docente.
Mais informações disponíveis no website da Comissão Europeia.

Fonte: OCDE/CE

Atualizado em 09-01-2018

Visitas: 26

O Mercado Único Europeu comemora 25 anos de existência

O Mercado Único Europeu, considerado por muitos como um dos maiores sucessos da União Europeia (UE), celebra o seu 25º aniversário este ano.

O mercado único é uma área económica que permite a livre circulação de pessoas, bens, serviços e capitais, as chamadas “quatro liberdades”. É a maior área económica sem barreiras do mundo, incluindo mais de 500 milhões de cidadãos e representando um Produto interno Bruto (PIB) no valor de 15 biliões de euros.

Estima-se que o mercado único europeu seja responsável pela criação de 2,8 milhões de postos de trabalho.

“Desde as auroras boreais ao sol do Mediterrâneo, possuímos liberdade de circulação de pessoas, mercadorias, serviços e capitais. Somos o maior mercado integrado do mundo,” explica Anna Maria Corazza Bildt, vice-presidente da comissão parlamentar do mercado interno.

Apesar do mercado único estar previsto já no Tratado de Roma em 1957, a falta de estruturas de tomada de decisão atrasou a sua implementação. Nos anos 80, a então Comissão Delors relança o processo focando-se em padrões mínimos em vez de harmonização completa e o mercado único entra em vigor a 1 de janeiro de 1993.

Hoje o alcance do mercado único vai além dos 28 Estados-Membros. A Islândia, o Liechtenstein e a Noruega têm acesso através do acordo EEA - Espaço Económico Europeu e a Suíça através de acordos bilaterais enquanto alguns outros países têm acesso a setores específicos.

DESENVOLVIMENTO DIGITAL

A UE encontra-se atualmente a tentar melhorar a área digital do mercado único através da modernização do comércio eletrónico, dos direitos de propriedade intelectual, da entrega de encomendas, da economia colaborativa e do estabelecimento de normas TIC – Tecnologias de Informação e Comunicação.

Segundo a Comissão Europeia, isto contribuiria anualmente com 415 mil milhões euros para a economia europeia e criaria centenas de milhares de postos de emprego.

“A livre circulação de dados, que faz parte da restante livre circulação irá realmente trazer grandes benefícios aos nossos cidadãos e será o empreendedorismo digital quem irá oferecer um grande número de soluções para os problemas das pessoas, se permitirmos, capacitarmos e facilitarmos esta liberdade de circulação”, sublinha Corazza Bildt.

Mais informações:

| Comissão do Mercado Interno e Proteção dos Consumidores

| Anna Maria Corazza Bildt (PPE, Suécia)

| O Mercado Único Europeu: impulsionar o Crescimento e o Emprego na UE

Fonte: Parlamento Europeu

Atualizado em 10-01-2018

Visitas: 23

Por um novo modelo de apoio à inovação na UE

Num ambiente cada vez mais dinâmico e complexo, as diferentes agências de inovação devem refletir sobre o modelo de apoio da União Europeia. Os contributos das várias partes interessadas são valiosos para essa reflexão, com particular destaque para a perspetiva dos inovadores, aptos a avaliar a intervenção europeia em pormenor.

A Comissão Europeia está decidida a renovar e reforçar o ímpeto inovador no espaço europeu. Iniciativas como o Conselho Europeu da Inovação são estímulos tremendos para promover e explorar a inovação, um meio decisivo para proteger o ambiente, potenciar a economia e assim melhorar a vida dos seus cidadãos.
A iniciativa, que decorre no próximo dia 25 de Janeiro, visa expor a perspetiva dos inovadores, aqueles que beneficiam dos programas europeus, que ficará registada num relatório preliminar. Desta forma é possível estabelecer uma via estrita de feedback, o que permite à União Europeia adaptar a estrutura que criou e desenvolvê-la em função das necessidades e prioridades dos beneficiários.

https://ec.europa.eu

Atualizado em 11-01-2018

Visitas: 21

Sessão | 'Sustentabilidade é Competitividade'

Realiza-se no dia 12 de janeiro, nas instalações do IAPMEI, no Porto, uma sessão de sensibilização sobre o tema PME Sustentável, numa organização do IAPMEI e da Associação Portuguesa de Ética Empresarial (APEE).

Este encontro surge no âmbito do projeto PME Sustentável, desenvolvido pela APEE, que visa capacitar as PME, com potencial exportador e/ou fornecedoras ou parceiras de grandes empresas, para a disponibilização de informação não financeira sobre direitos humanos, mecanismos anti-corrupção, ambiente, entre outros.

Recorde-se que, dando seguimento à transposição de uma Diretiva europeia, a legislação portuguesa estabelece que todas as empresas cotadas em bolsa (com mais de 500 trabalhadores, ou um valor total de balanço de mais de 20 milhões de euros, ou volume de negócios líquido superior a 40 milhões de euros), estão obrigadas a reportar anualmente, para além da habituais demonstrações financeiras, informação não financeira relativa às suas áreas sociais, ambientais e de governo societário.

Dada a importância que este tipo de informação assume para a concretização de objetivos contemplados por iniciativas como a Estratégia Europa 2020, Agenda 2030 ou os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que apontam para a prossecução de uma sociedade mais justa, através de uma economia inclusiva, de empresas sustentáveis e com uma gestão responsável, é muito previsível que este tipo de obrigações se alargue a outras empresas, de menor dimensão.

Desta forma, e considerando-se que, em toda a sua cadeia de valor, o tecido empresarial está já sujeito a este novo desafio, torna-se imperativo sensibilizar as empresas para esta nova realidade, razão pela qual o IAPMEI e a APEE organizam esta sessão.

Consulte o programa do evento e inscreva-se!

Para mais informações contacte a APEE através do email Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ou pelo telefone 912 549 787.

Fonte: IAPMEI

Atualizado em 11-01-2018

Visitas: 25

Subcategorias

© Directório União Europeia 2013 | Site desenvolvido por Webtraços, Lda.

Top Desktop version