Directório União Europeia

Directório União Europeia

O Euro celebra o seu 20.º aniversário

O Euro fez 20 anos a 1 de janeiro de 2019. No dia 1 de janeiro de 1999, 11 países da União Europeia lançaram uma moeda comum, o Euro, e adotaram uma política monetária partilhada sob os auspícios do Banco Central Europeu.

Esse momento histórico constituiu um marco no processo movido pela ambição de garantir a estabilidade e a prosperidade na Europa. Atualmente, ainda jovem, o euro é a moeda de 340 milhões de europeus em 19 Estados-Membros.

O euro trouxe vantagens tangíveis para as famílias, as empresas e os governos europeus: preços estáveis, custos de transação mais baixos, poupanças protegidas, mercados mais transparentes e mais competitivos e aumento das trocas comerciais.

Cerca de 60 países em todo o mundo têm as suas moedas ligadas ao euro de uma forma ou de outra e pode-se fazer mais para que o euro desempenhe plenamente o seu papel na cena internacional.

Espera-se que outros Estados-Membros da UE adiram à área do euro assim que cumpram os critérios.

Para assinalar este aniversário, os cinco presidentes das instituições e dos órgãos da UE mais diretamente responsáveis pelo euro, a Comissão Europeia, o Parlamento Europeu, o Conselho Europeu, o Banco Central Europeu e o Eurogrupo fizeram declarações sobre os 20 anos da moeda única e sobre o seu futuro.

Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia: «Sendo um dos únicos signatários do Tratado de Maastricht ainda politicamente ativo, recordo as difíceis e importantes negociações sobre o lançamento da União Económica e Monetária. Mais do que tudo, recordo a profunda convicção de que estávamos a abrir um novo capítulo na nossa história comum. Um capítulo que moldaria o papel da Europa no mundo e o futuro de todos os seus cidadãos. 20 anos depois, estou convencido de que esta assinatura foi a mais importante que jamais efetuei. O euro tornou-se um símbolo da unidade, da soberania e da estabilidade. Proporcionou prosperidade e proteção aos nossos cidadãos e temos de garantir que o continue a fazer. É por essa razão que estamos a trabalhar arduamente para completar a nossa União Económica e Monetária e reforçar o papel internacional do euro.»

Antonio Tajani, presidente do Parlamento Europeu: «O euro é hoje mais popular do que nunca: três em cada quatro cidadãos consideram que é positivo para a nossa economia. Para que os europeus beneficiem plenamente do emprego, do crescimento e da solidariedade que a moeda única deverá proporcionar, temos de completar a nossa União Económica e Monetária através de uma verdadeira união financeira, orçamental e política. Tal permitirá também à Europa proteger melhor os seus cidadãos de potenciais futuras crises.»

Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu: «A criação do euro há 20 anos, juntamente com a libertação da Europa Central e Oriental e a reunificação da Alemanha, constitui um momento crucial da história europeia. Desde então, a nossa moeda comum passou a ser uma expressão forte da União Europeia como força política e económica no mundo. Apesar das crises, o euro demonstrou a sua resiliência e os oito membros que se juntaram aos 11 iniciais beneficiaram das suas vantagens. À medida que o mundo continua a evoluir, continuaremos a melhorar e a reforçar a nossa União Económica e Monetária.»

Mario Draghi, presidente do Banco Central Europeu: «O euro é uma consequência lógica e necessária do mercado único. Facilita as viagens, as trocas comerciais e as transações dentro e fora da área do euro. Após 20 anos, existe agora uma geração que não conhece outra moeda nacional. Durante esse período, o BCE cumpriu a sua principal função de manter a estabilidade dos preços. Mas também contribuímos para o bem-estar dos cidadãos da área do euro, através do desenvolvimento de notas bancárias inovadoras e seguras, da promoção de sistemas de pagamento seguros, da supervisão dos bancos para garantir que são resilientes e supervisionando a estabilidade financeira na área do euro.»

Mário Centeno, presidente do Eurogrupo: «A moeda única foi um dos maiores êxitos europeus. Não há dúvidas quanto à sua importância e ao seu impacto nas duas primeiras décadas da sua história. Mas o seu futuro ainda está a ser definido, o que nos põe perante uma responsabilidade histórica. O euro e a estreita cooperação económica que este implica têm evoluído ao longo do tempo, resolvendo os problemas que se lhe deparam. Percorreu um longo caminho desde o início, tendo registado mudanças importantes decorrentes da crise que nos ajudaram a superar as dificuldades. Mas este trabalho ainda não está concluído, exigindo esforços contínuos de reforma tanto nos períodos de conjuntura favorável como desfavorável. Não há dúvidas quanto à nossa vontade política de reforçar a União Económica e Monetária. Temos de estar preparados para o que o futuro possa trazer, é o nosso dever para com os nossos cidadãos.»

LIGAÇÕES ÚTEIS:

A História e os Benefícios do Euro

O que a UE está a fazer para reforçar o euro

Ficha informativa: Comissão apresenta pistas para continuar a reforçar o papel internacional do euro

O futuro alargamento da área do euro

VIDEO - A história do euro e do Banco Central Europeu

Vídeo e fotografias de arquivo sobre o #EUROat20 e a história do euro

Fonte: Rep. CE Portugal

Atualizado em 03-01-2019

Visitas: 37

Desta vez VOTE nas Eleições Europeias

As próximas Eleições Europeias realizam-se em maio de 2019, entre dia 23 (quinta-feira) e dia 26 (domingo), dependendo do país onde vive ou onde vota.

A Europa enfrenta muitos desafios, que vão da imigração às alterações climáticas e do desemprego juvenil à proteção de dados.

A necessidade de encontrarmos soluções comuns nunca foi tão premente.

No entanto, contamos também com muitas oportunidades, como, por exemplo, o alargamento do mercado único digital e o reforço de uma adequada proteção dos consumidores e dos criadores europeus.

Estes são alguns dos domínios que mais preocupam os europeus e sobre os quais o Parlamento Europeu toma e continuará a tomar decisões.

Ao VOTAR, está a atribuir-lhe o poder democrático para tal. Desta vez, as eleições ocorrem num contexto muito diferente de há cinco anos.

Vemos à nossa volta como as inverdades não contestadas podem facilmente converter a diversidade em divisão. E, o quão frágil pode ser a democracia, se nela não participarmos ativamente.

Desta vez, ter esperança num futuro melhor não chega. Desta vez, temos de assumir as nossas responsabilidades e escolher o que queremos para o nosso futuro.

É por esta razão que, desta vez, lhe pedimos que VOTE e que contribua para persuadir a sua família e os seus amigos a votar.

Encontrará aqui uma lista de boas razões para votar e incentivar outros a fazê-lo. Para além destas, há muitas mais.

Saiba quais as 16 razões para votar nas Eleições Europeias.

Visite a plataforma destavezeuvoto.eu

Fonte: Parlamento Europeu

Atualizado em 04-01-2019

Visitas: 35

Plovdiv e Matera são Capitais Europeias da Cultura 2019

A partir de 1 de janeiro de 2019, e durante um ano, Plovdiv (Bulgária) e Matera (Itália) terão o título de Capital Europeia da Cultura.

Plovdiv é a primeira cidade búlgara a ser escolhida como Capital Europeia da Cultura. Com um programa completo sob o lema «Juntos», 2019 trará novas oportunidades para a região e visibilidade internacional para a cidade. Foram organizados mais de 300 projetos em Plovdiv, assim como na região centro-sul da Bulgária e nas cidades de Varna, Sófia e Veliko Tarnovo, incluindo festivais e projetos de base comunitária, estruturados em torno de temas relacionados com as características próprias de Plovdiv, a sua história, o seu património cultural, bem como com os desafios que a cidade enfrenta.

Entre a possibilidade de descobrir o alfabeto cirílico através de várias exposições, de assistir a produções teatrais conjuntas com os Balcãs ocidentais e as comunidades ciganas e turcas, os visitantes têm ao seu dispor um amplo leque de atividades em que podem participar. As celebrações de abertura terão lugar de 11 a 13 de janeiro, com uma série de eventos no interior e ao ar livre, incluindo um espetáculo de música, luz e dança na noite de 12 de janeiro. A comissária responsável pela Economia e Sociedade Digitais, Mariya Gabriel, participará na cerimónia oficial de abertura em 12 de janeiro.

O programa de Matera foi organizado sob o lema «Um futuro aberto» e focará especialmente a inclusão social e cultural e a inovação colaborativa. Salientamos «Ars Excavandi», um olhar contemporâneo sobre a história e a cultura da arquitetura subterrânea, «Re-reading Renaissance» (releitura do Renascimento), uma viagem através do passado artístico de Basilicata e Apúlia, e «Poetry of primes» (poesia dos números primos), uma exposição sobre o papel central da matemática no trabalho dos artistas ao longo dos tempos.

Matera organizará também o primeiro espetáculo ao ar livre da ópera Cavalleraria Rusticana, em cooperação com o Teatro San Carlo, bem como 27 projetos desenvolvidos por comunidades criativas locais e parceiros europeus. As celebrações de abertura terão lugar em 19 e 20 de janeiro e reunirão 2 000 músicos de todas as aldeias da região de Basilicata e de muitas outras partes da Europa. O comissário Navracsics estará presente na cerimónia oficial de abertura, em 19 de janeiro.

https://ec.europa.eu

Atualizado em 07-01-2019

Visitas: 31

Estágios na Comissão Europeia

Todos os anos, a Comissão Europeia propõe dois estágios remunerados de cinco meses para 1 300 estagiários. Inscrições abertas para a sessão de outubro até 4 de fevereiro.

10/01/2019
Os estagiários adquirem, a partir de 1 de março ou de 1 de outubro de cada ano, experiência prática na elaboração das políticas da UE num ambiente multicultural.

Os estagiários são recrutados em toda a Comissão Europeia/serviços/agências, principalmente em Bruxelas, mas também no Luxemburgo e em toda a União Europeia.

A natureza do trabalho dos estagiários depende do serviço onde são colocados. Por exemplo, poderá ser recrutado no domínio da concorrência, dos recursos humanos ou do ambiente.

O que pode esperar de um estágio na Comissão Europeia?

Familiarizar-se com os procedimentos e as políticas das instituições europeias;
Participar no trabalho diário da Comissão Europeia;
Aplicação prática dos conhecimentos teóricos já obtidos.

https://ec.europa.eu

Atualizado em 11-01-2019

Visitas: 25

Subcategorias

© Directório União Europeia 2013 | Site desenvolvido por Webtraços, Lda.

Top Desktop version