Directório União Europeia

Directório União Europeia

"Todos Contam" distingue melhores projetos de educação financeira a implementar na escola

Estão abertas até 12 de outubro as candidaturas para a 7.ª edição do Concurso Todos Contam.

As escolas podem submeter a concurso os seus projetos de educação financeira para o ano letivo de 2018/2019, através do endereço eletrónico Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Este concurso insere-se no âmbito do Plano Nacional de Formação Financeira, que tem como objetivos, entre outros, a promoção de conhecimentos e atitudes financeiras, o apoio à inclusão financeira e o desenvolvimento de hábitos de poupança.

Imagem 7.ª edição Todos Contam

O que é o Concurso Todos Contam?

O Concurso Todos Contam distingue os melhores projetos de educação financeira a implementar nas escolas.

É uma iniciativa do Conselho Nacional de Supervisores Financeiros – Banco de Portugal, Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões e Comissão do Mercado de Valores Mobiliários – e do Ministério da Educação, através da Direção-Geral da Educação e da Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional.

Quem pode concorrer?

O concurso é dirigido aos agrupamentos de escolas, escolas não agrupadas, estabelecimentos de ensino particulares e cooperativos e escolas profissionais que ministrem a educação pré-escolar e o ensino básico e secundário.

Como pode concorrer?

Os projetos devem ser submetidos até ao dia 12 de outubro através do envio da ficha de projeto prevista no Regulamento, devidamente preenchida, para o endereço eletrónico Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Cada projeto deve candidatar-se apenas a um nível de educação/ciclo de ensino:

Educação pré-escolar;1.º ciclo do ensino básico;2.º ciclo do ensino básico;3.º ciclo do ensino básico; ouEnsino secundário.

Quais os requisitos dos projetos?

Tendo por base o Referencial de Educação Financeira para a Educação Pré-Escolar, o Ensino Básico, o Ensino Secundário e a Educação e Formação de Adultos, os projetos candidatos devem:

Sensibilizar para a importância dos conhecimentos financeiros no quotidiano;Desenvolver conhecimentos e capacidades fundamentais para as decisões financeiras;Promover atitudes e comportamentos financeiros adequados;Promover a criação de hábitos de poupança;Aprofundar conhecimentos e capacidades na utilização dos serviços financeiros digitais;Estimular a utilização dos conteúdos e recursos disponíveis no portal Todos Contam.

Os projetos devem ainda reger-se pelos Princípios Orientadores das Iniciativas de Formação Financeira do Plano. Em particular, os projetos que incluam iniciativas desenvolvidas em parceria com instituições do setor financeiro, sem o enquadramento da respetiva associação setorial, não observam os Princípios Orientadores, sendo este um fator de exclusão do concurso.

Como são avaliados os projetos?

A avaliação dos projetos a concurso terá em consideração a qualidade pedagógica e científica no desenvolvimento de temáticas do Referencial de Educação Financeira, a criatividade e a relevância, o envolvimento da comunidade escolar, a viabilidade e a exequibilidade, a criação e a utilização de recursos digitais e a utilização dos materiais e da informação disponíveis no portal Todos Contam.

A avaliação dos projetos cabe ao júri do Concurso Todos Contam, que é constituído por Isabel Alçada (que preside), por Maria Amélia Cupertino de Miranda, por Alexandra Marques, pelo Diretor-Geral da Direção-Geral da Educação, José Vítor Pedroso, e pela vogal do conselho diretivo da Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional, Ana Cláudia Valente.

Que prémios podem ser atribuídos?

Serão atribuídos cinco prémios, no valor de 1000 euros em livros e materiais escolares: um para a educação pré-escolar, um por cada um dos três ciclos do ensino básico e um para o ensino secundário.

Está ainda prevista a possibilidade de entrega de um prémio de continuidade para distinguir projetos plurianuais que tenham participado no Concurso Todos Contam ao longo de três edições consecutivas.

A entrega dos prémios será faseada: metade do valor do prémio será atribuída após o anúncio oficial dos vencedores, no evento dirigido às escolas de comemoração da Semana da Formação Financeira 2018 (de 29 de outubro a 2 de novembro), e a outra metade após o final do ano letivo 2018/2019, mediante prova da efetiva implementação dos projetos.

Fonte: Todos Contam

Atualizado em 17-08-2018

Visitas: 45

2018 Por um Portugal Sustentável: Candidaturas finalistas

Conheça as dez candidaturas finalistas da 9.ª edição do Prémio Manuel António da Mota, que este ano distingue as instituições que contribuam com os seus projetos para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

O interesse suscitado por esta iniciativa está bem patente nas inúmeras candidaturas, provenientes de instituições de todo o território nacional.

O Comité de seleção, composto por representantes da Fundação Manuel António da Mota e TSF - Rádio Notícias, deliberou passar à segunda fase as seguintes dez instituições finalistas:

AGUIARFLORESTA – Associação Florestal e Ambiental de Vila Pouca de Aguiar;

Associação Algarvia de Pais e Amigos de Crianças Diminuídas Mentais;

Associação Cuidadores – Melhorar a vida de quem cuida;

Associação BIPP Inclusão para a Deficiência;

Câmara Municipal de Esposende;

Cooperativa Integral Minga CRL;

COOPÉRNICO – Cooperativa de Desenvolvimento Sustentável CRL;

GAT – Grupo de Ativistas em Tratamentos;

Os Pioneiros – Associação de Pais de Mourisca do Vouga;

Universidade da Beira Interior.

Seguir-se-á a avaliação das candidaturas por parte do Júri de seleção que é composto pelos seguintes membros:

- Padre Lino Maia – Presidente da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS);

- Dra. Maria Joaquina Madeira – Coordenadora Nacional do Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade entre Gerações em 2012;

- Dra. Maria Manuela Eanes – Presidente do Conselho de Curadores da Fundação Manuel António da Mota;

- Engª Maria Inês Mota Sá - Vogal do Conselho de Administração e Membro da Comissão Executiva da Fundação Manuel António da Mota;

- Dra. Maria Teresa Neves Costa - Vogal do Conselho de Administração da Fundação Manuel António da Mota;

- Prof. Dr. Filipe Duarte Santos – Investigador e Professor Universitário.

O processo de escolha da candidatura vencedora envolverá, nos termos do Regulamento do Prémio, a apreciação in loco dos projetos concorrentes, ação esta integrada no conjunto de reportagens que a TSF-Rádio Notícias vai realizar com cada uma das instituições finalistas.

A entidade que apresente a candidatura vencedora receberá um prémio pecuniário no valor de 50.000€.

O segundo e terceiro classificados receberão, respetivamente, um prémio pecuniário de 25.000€ (segundo classificado) e 10.000€ (terceiro classificado), cabendo um prémio pecuniário de 5.000€ às restantes sete candidaturas (menções honrosas).

O anúncio da candidatura vencedora terá lugar numa cerimónia a realizar no dia 25 de novembro, a partir das 14h30, no Centro de Congressos da Alfândega do Porto.

Sobre o Prémio Manuel António da Mota

Nas suas edições anteriores o “Prémio Manuel António da Mota” distinguiu instituições que se destacaram nos domínios da luta contra a pobreza e exclusão social (2010), promoção do voluntariado (2011), promoção do envelhecimento ativo e solidariedade entre gerações (2012), promoção da cidadania europeia e da concretização dos objetivos nacionais inscritos na estratégia Europa 2020 (2013), naqueles que foram os Anos Europeus dedicados a estes temas.

Tendo distinguido em 2014 as instituições que atuam no domínio da valorização, defesa e apoio à família nas mais variadas áreas, por ocasião do 20º aniversário do Ano Internacional da Família.

Premiou em 2015 as instituições socialmente inovadoras nas respostas aos problemas sociais, em 2016 consagrou instituições que se notabilizaram na apresentação de projetos nos domínios da educação, emprego e combate à pobreza e à exclusão social, tendo em 2017 retomado o tema do combate à pobreza e à exclusão social, com particular enfoque na pobreza infantil, dos jovens e das famílias.

Fonte: Fundação Manuel António da Mota

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Atualizado em 17-08-2018

Visitas: 25

Inscrições abertas para Multiplicadores Eurodesk: serviço de informação para jovens

Estão abertas até 15 de setembro as candidaturas à Rede de Multiplicadores Eurodesk em Portugal.

O perfil e experiência da organização e da pessoa indicada para multiplicador, bem como, o equilíbrio geográfico da Rede são algumas das prioridades na seleção dos candidatos.

Ao tornar-se multiplicador Eurodesk, a organização vai ter acesso a plataformas de informação e colaboração e a todos os documentos Eurodesk. Além disso, vai receber apoio a atividades e eventos a realizar no plano de atividades aprovado, bem como assistência em tempo real relativamente aos temas de trabalho. São várias as formações, a nível nacional e internacional, que procuram capacitar os multiplicadores Eurodesk a partilhar informação europeia pelos jovens e a responder-lhes de acordo com as regras estabelecidas, tanto online, como presencialmente.

Os candidatos devem ser um organismo público ou uma organização sem fins lucrativos, trabalhar na área de juventude ou ter como público-alvo os jovens e ter experiência em projetos europeus ou cooperação internacional.

Depois de consultada a call com todos os detalhes sobre a oportunidade, os interessados devem formalizar a candidatura até 15 de setembro, através do preenchimento do formulário online. A comunicação da decisão será realizada via email a 26 de setembro e, até lá, todas as questões/dúvidas podem ser colocadas através do email Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

A Agência Nacional Erasmus+ Juventude em Ação tem responsabilidades de representação internacional do Eurodesk Portugal, bem como de dinamização e apoio da rede nacional de multiplicadores Eurodesk, para além da gestão da informação em português no Portal Europeu da Juventude.

Sobre a Rede Eurodesk

A rede Eurodesk está presente em 34 países. Nestes países os Centros Eurodesk, com a ajuda dos multiplicadores, levam a cabo a missão da rede Eurodesk: “Sensibilizar os jovens sobre oportunidades de aprendizagem de mobilidade, incentivando-os a tornarem-se cidadãos ativos.”

É uma das fontes gratuitas de informação mais abrangente e mais acessível para os jovens sobre oportunidades de mobilidade de aprendizagem internacionais.

Hoje, mais de 1000 profissionais da juventude dinamizam e divulgam um pouco por toda a Europa informações sobre oportunidades de mobilidade para os jovens na Europa.

A rede Eurodesk disponibiliza, assim, serviços de informação para jovens e pessoas que com eles trabalhem sobre oportunidades nos domínios da educação, da formação e da juventude na Europa, e sobre o envolvimento dos jovens em atividades europeias.

Presente em todos os países do Programa e coordenada ao nível europeu pelo Gabinete de Ligação Eurodesk em Bruxelas, a rede Eurodesk presta serviços de resposta a pedidos de informação, informações sobre financiamento, eventos e publicações. Contribuindo ainda para a animação do Portal Europeu da Juventude que disponibiliza informações e oportunidades a nível europeu e nacional de interesse para jovens que vivam, estudem e trabalhem na Europa.

Fonte: Erasmus+

Atualizado em 20-08-2018

Visitas: 46

Prémio Horizon: “Low Carbon Hospital”

O Prémio Horizon: “Low Carbon Hospital” visa a utilização de energias renováveis para a produção de calor e de energia nos edifícios, nomeadamente a instalação de um sistema combinado de calor e energia numa unidade hospitalar, utilizando apenas fontes de energia renováveis.

A recompensa do Prémio Horizon: “Low Carbon Hospital” é de 1 milhão de euros. Será premiado um hospital que possua um sistema que, para além de inovador, utilize pelo menos três tecnologias europeias de energias renováveis, inclua uma componente de armazenamento de energia e que seja capaz de fornecer 100% das suas necessidades de consumo anuais.

A candidaturas encontram-se abertas até 03 de abril de 2019.

Mais informações: http://bit.ly/2jjOwp5

Fonte: CEC

Atualizado em 20-08-2018

Visitas: 35

Subcategorias

© Directório União Europeia 2013 | Site desenvolvido por Webtraços, Lda.

Top Desktop version