Directório União Europeia

Directório União Europeia

Ciclo de divulgação dos Instrumentos Financeiros Públicos

A Instituição Financeira para o Desenvolvimento (IFD) vai organizar um ciclo de sete Sessões de divulgação dos Instrumentos Financeiros Públicos onde serão detalhadamente apresentados aos empresários as características dos vários instrumentos financeiros, entre os quais a Linha Capitalizar Mais, Linha Business Angels e Linha Fundos de Risco de Capital de Risco, entre outros.

A primeira sessão, dedicada à Área Metropolitana do Porto, terá lugar amanhã, dia 9 de outubro, na AEP – Associação Empresarial de Portugal, av. Dr. António Macedo, 196, Leça da Palmeira, com início às pelas 10h.

Este ciclo continuará ainda nas seguintes datas e locais:

12 de outubro: CETS - Conselho Empresarial do Tâmega e Sousa, em Marco de Canaveses, pelas 14h30min;
12 novembro: OROC – Ordem dos Revisores Oficiais de Contas, no Porto, pelas 18h;
14 novembro: OROC – Ordem dos Revisores Oficiais de Contas, em Lisboa, pelas 18h;
27 novembro: CEVAL - Confederação Empresarial do Alto Minho, em Viana do Castelo, pelas 9h30min;
28 novembro: NERVIR – Associação Empresarial de Vila Real, em Vila Real, pelas 14h30min;
5 dezembro: NERBA - Associação Empresarial do Distrito de Bragança, em Bragança, pelas 9h30min.

As inscrições devem ser feitas para o endereço Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. .

Fonte: IFD

Atualizado em 08-10-2018

Visitas: 23

Portugal conquista dois prémios nos RegioStars 2018

Portugal conquistou dois dos prémios da edição deste ano dos RegioStars, considerados uma espécie de “óscares europeus” para projetos de desenvolvimento regional.

O Museu do Património da Vista Alegre e o Centro de Negócios do Fundão saíram vitoriosos no concurso que visa destacar projetos originais e inovadores apoiados por fundos da União Europeia. O reconhecimento do júri que anunciou os projetos vencedores aconteceu ao final da tarde de terça-feira, numa cerimónia realizada em Bruxelas.

Nesta edição, Portugal estava representado com um total de quatro finalistas – dois da região Norte e dois do Centro – num total de 21 projetos.

“É o reconhecimento da própria Comissão Europeia da boa aplicação dos fundos e nesta fase em que estamos a negociar o próximo quadro comunitário ainda se revela mais importante”, destacou Ana Abrunhosa, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), depois de conhecer a vitória dos dois projetos submetidos por aquele organismo.

“Só podíamos candidatar dois e os que apresentámos saíram vencedores”, referiu, notando que são dois projetos de duas áreas que evidenciam aquilo que a região procura fazer: “uma aposta na modernidade, sem esquecer a história”. Por um lado, “a transição para uma indústria inteligente, através do projeto promovido pelo município do Fundão”, por outro, “o cuidado de preservar o património cultural e industrial, de forma sustentável, com o projeto liderado pelo município de Ílhavo e pela empresa Vista Alegre”.

Esta foi a quinta vez que Portugal saiu vencedor neste concurso, num total de 11 edições. A última vitória foi em 2016 e com o projeto de aproveitamento de resíduos florestais e agrícolas da BLC3, associação com base em Oliveira do Hospital, na região Centro.

Fonte: Público

Atualizado em 10-10-2018

Visitas: 22

Medidas para a conservação das unidades populacionais de espécies de profundidade no Atlântico Nordeste

A Comissão propôs totais admissíveis de capturas (TAC) para um certo número de espécies em 2019 e 2020, num esforço para restabelecer as populações de peixes de profundidade no Atlântico Nordeste.

Estas novas medidas, que se baseiam no aconselhamento científico, permitirão que as unidades populacionais se reconstituam gradualmente até atingirem níveis sustentáveis.

Muitas das espécies de profundidade são extremamente vulneráveis e demoram muito tempo a atingir a maturidade. A proposta da Comissão baseia-se nos pareceres científicos de precaução do Conselho Internacional de Exploração do Mar (CIEM) (link is external) e tem em conta a obrigação de os pescadores desembarcarem todas as capturas a partir de 1 de janeiro de 2019.

A proposta reduz os limites de captura para diversas espécies, incluindo os imperadores e o peixe-espada-preto, em sete zonas de gestão, comparativamente aos níveis de 2017-2018. A pesca de olho-de-vidro laranja continuará a ser proibida.

Ao mesmo tempo, os pareceres científicos positivos quanto ao goraz na região dos Açores e à lagartixa-da-rocha nas águas ocidentais sul permitiram à Comissão propor quotas mais elevadas para estas espécies nos próximos dois anos.

A Comissão propõe igualmente a TAC supressão do sistema de gestão por TAC para três espécies (abrótea-do-alto no Atlântico Nordeste, lagartixa-da-rocha no mar do Norte e peixe-espada-preto no mar do Norte e no Skagerrak), uma vez que apenas são pescadas em pequenas quantidades, que não comprometem a sua reprodução.

O parecer científico sobre os tubarões de profundidade foi apresentado em 5 de outubro e encontra-se em análise.

A Comissão irá agora completar a sua proposta em curso, por forma a permitir a respetiva adoção pelos Estados-Membros da UE na reunião do Conselho que se encontra agendada para 19 e 20 de novembro.

https://ec.europa.eu

Atualizado em 10-10-2018

Visitas: 21

PESCAS: COMISSÃO PROPÕE MEDIDAS PARA A CONSERVAÇÃO DAS UNIDADES POPULACIONAIS

A Comissão Europeia propôs totais admissíveis de capturas (TAC) para um certo número de espécies em 2019 e 2020, com base em pareceres científicos, num esforço para restabelecer as populações de peixes de profundidade no Atlântico Nordeste.

Para mais informações:
http://europa.eu/rapid/press-release_IP-18-5983_pt.htm

Atualizado em 10-10-2018

Visitas: 20

Subcategorias

© Directório União Europeia 2013 | Site desenvolvido por Webtraços, Lda.

Top Desktop version