Directório União Europeia

Directório União Europeia

Efeito Brexit: Eurobarómetro revela imagem mais positiva de sempre da União Europeia

68% dos europeus consideram que o seu país beneficia com a pertença à União Europeia, o valor mais elevado desde 1983, recorde destacado pelo mais recente Eurobarómetro do Parlamento Europeu.

Mais Destaques

Fazer parte da União Europeia é considerado “uma coisa boa” por 62% dos europeus, o valor mais alto registado nos últimos 25 anos.

Em Portugal, estes valores estão acima da média europeia, com uma taxa de apreciação da UE de 67%, que representa um crescimento de dois pontos percentuais face aos resultados de abril.

Tanto a nível europeu como em Portugal, a maioria dos indicadores de apoio à UE regista uma evolução positiva, sugerindo um aumento da consciência dos benefícios de fazer parte da UE, no seguimento do referendo no Reino Unido em 2016.

Questionados sobre como votariam num referendo sobre a permanência na UE, 66% dos europeus indicam que votaria a favor de ficar (uma opinião maioritária em todos os Estados-Membros, e que se situa em 72% em Portugal).

Os cidadãos estão também mais satisfeitos com o funcionamento da democracia na UE (61% face a 55% em abril, em Portugal, e 49% a nível em europeu). E têm uma boa imagem do PE: 43% dos portugueses tem uma imagem positiva da instituição, a quinta percentagem mais elevada na UE.

Portugal é também o quarto país que mais defende um papel mais interventivo do PE (64% face à média europeia de 48%). Consulte a ficha relativa a Portugal.

Eleições Europeias em maio de 2019

O Eurobarómetro revela também que 41% dos europeus identificam corretamente a data das eleições europeias, uma subida de 9 pontos percentuais em seis meses. Em Portugal, este valor aumentou 5 pontos para 29%. Contudo, 63% dos portugueses ainda não sabem que as eleições europeias vão realizar-se em maio de 2019.

Imagem Eurobarómetro PE - Portugal

A economia e crescimento e o combate ao desemprego jovem são os temas que os cidadãos mais gostariam de ver discutidos durante a campanha eleitoral, tanto em Portugal como a nível europeu.

Comentando os resultados do Eurobarómetro, o presidente do PE Antonio Tajani disse: “Na altura em que os detalhes do acordo da saída do Reino Unido estão a ser finalizados, estes dados revelam uma crescente apreciação dos benefícios de pertencer à União Europeia. No entanto, há ainda muito trabalho a fazer. É essencial continuar a cooperação e solidariedade a nível europeu para responder às preocupações dos cidadãos”.

“O facto de 51% dos cidadãos do Reino Unido responderem que gostariam de ficar na UE reflete as profundas divisões criadas pela decisão do Brexit e a necessidade de encontrarmos uma relação futura a longo prazo próxima e sustentável”, acrescentou Guy Verhofstadt, coordenador do PE para o Brexit.

Este inquérito decorreu entre 8 e 26 de setembro, nos 28 Estados Membros, junto de 27.474 europeus com idade igual ou superior a 16 anos, que responderam presencialmente em entrevistas conduzidas pela Kantar Public.

Fonte: Parlamento Europeu

Atualizado em 22-10-2018

Visitas: 30

Que Europa queremos para o futuro?

O próximo Encontro-Diálogo com os Cidadãos “vai ter lugar no Funchal, a 26 de outubro.

Ana Paula Zacarias, Secretária de Estado dos Assuntos Europeus, Cláudia Monteiro de Aguiar, deputada ao Parlamento Europeu, Paula Cabaço, Secretária Regional do Turismo e Cultura, e Sofia Colares Alves, Representante da Comissão Europeia em Portugal, juntam-se no Museu da Eletricidade – Casa da Luz, entre as 15h00 e as 16h30, para um debate público sobre “Que Europa queremos para o futuro?”.

Quatro mulheres, quatro caras da Europa em Portugal, vão falar sobre os grandes temas da atualidade europeia e responder às perguntas da audiência, sete meses antes das eleições europeias de 26 de maio de 2019.

O debate é moderado pelo jornalista madeirense Paulo Jardim, responsável da área de informação na RTP Madeira.

Organizado pela Comissão Europeia e pelo Centro de Informação Europe Direct da Madeira em parceria com o Governo Português no quadro da iniciativa “Encontros-Diálogos com os cidadãos” - eventos com o objetivo de identificar as principais preocupações e expectativas dos cidadãos em domínios fundamentais para o futuro da Europa.

São também parceiros o Parlamento Europeu e o Governo Regional da Região Autónoma da Madeira

Imagem Encontro Diálogo com os Cidadãos outubro 2018

A inscrição é gratuita mas obrigatória.

Fonte: Rep. da CE

Atualizado em 23-10-2018

Visitas: 29

Programa de trabalho da Comissão para 2019

A Comissão Europeia apresenta o programa de trabalho para 2019, que visa cumprir o prometido e preparar o futuro.

23/10/2018
A Comissão Europeia apresentou o seu programa de trabalho para 2019, definindo três grandes prioridades para o próximo ano:

obter rapidamente um acordo sobre as propostas legislativas já apresentadas, no intuito de concretizar as suas dez prioridades políticas;
adotar um número limitado de novas iniciativas para responder aos desafios que subsistem;
e apresentar diversas iniciativas numa perspetiva de futuro para uma União com 27 membros, reforçando os alicerces de uma Europa forte, unida e soberana.
O programa de trabalho para 2019 centra-se apenas em 15 iniciativas novas, a que acresce mais 10 novas avaliações REFIT para reexaminar a legislação em vigor e garantir a sua adequação, atendendo às finalidades visadas.

A fim de colocar a tónica na obtenção de resultados, o programa de trabalho da Comissão enumera também as 45 propostas prioritárias pendentes ao abrigo da declaração conjuntaVer esta ligação noutra línguaEN••• sobre as prioridades legislativas, a serem adotadas pelo Parlamento e pelo Conselho até às eleições europeias. A Comissão propõe também a retirada ou a revogação de 17 propostas pendentes ou atos legislativos em vigor.

Obter resultados para os cidadãos europeus
A Comissão já apresentou todas as propostas legislativas necessárias para concretizar as dez prioridades da Comissão Juncker.

Em conjunto com o Parlamento Europeu e o Conselho, cerca de metade dessas propostas foram objeto de acordo e mais 20 % encontram-se numa fase avançada do processo legislativo. A nossa prioridade para o próximo ano consistirá em obter luz verde para o maior número possível de propostas pendentes.

A Comissão apresentará igualmente um número limitado de novas iniciativas, nomeadamente no intuito de proporcionar aos cidadãos europeus perspetivas sólidas para o futuro.

Faremos o balanço sobre o Plano de Investimento para a Europa e apresentaremos um documento de reflexão sobre a forma de garantir uma Europa sustentável para as próximas gerações.

Formularemos um plano coordenado para o desenvolvimento da inteligência artificial na Europa, para além de apresentar um plano de ação sobre a desinformação e uma recomendação relativa à criação de um registo europeu eletrónico em matéria de saúde.

Avaliaremos igualmente os obstáculos que subsistem ao mercado único e avançaremos com ideias para proceder à sua eliminação, para além de apresentar uma estratégia sobre os desreguladores endócrinos.

Para concluir a União da Energia e combater as alterações climáticas, iremos apresentar uma estratégia para a redução a longo prazo das emissões de gases com efeito de estufa e elaborar um relatório sobre o estado da União da Energia, bem como um plano de ação para as baterias.

A Comissão Europeia irá igualmente defender uma maior votação por maioria qualificada nos domínios da energia e do clima, da fiscalidade e da política social.

Continuaremos a reforçar o enquadramento do Estado de direito e o papel internacional do euro, para além de informar sobre os progressos registados quanto à reciprocidade em matéria de vistos e apresentaremos ideias a respeito de «Comunicar a Europa».

Por último, serão necessárias determinadas medidas para adaptar o acervo da UE no contexto do Brexit.

A Comissão Europeia adaptará os nossos objetivos de eficiência energética à UE com 27 membros, apresentará as propostas necessárias relativamente ao estatuto dos cidadãos britânicos em matéria de vistos na sequência do Brexit e apresentará, até ao final de 2018, uma série de atos delegados e atos de execução necessários.

https://ec.europa.eu

Atualizado em 24-10-2018

Visitas: 27

Programa de Trabalho da Comissão Europeia para 2019: Preparar o futuro

A Comissão Europeia já apresentou o seu programa de trabalho para 2019, definindo três grandes prioridades para o próximo ano:

obter rapidamente um acordo sobre as propostas legislativas já apresentadas, no intuito de concretizar as suas dez prioridades políticas;

adotar um número limitado de novas iniciativas para responder aos desafios que subsistem;

apresentar diversas iniciativas numa perspetiva de futuro para uma União com 27 membros, reforçando os alicerces de uma Europa forte, unida e soberana.

O programa de trabalho para 2019 centra-se apenas em 15 iniciativas novas, a que acresce mais 10 novas avaliações REFIT para reexaminar a legislação em vigor e garantir a sua adequação, atendendo às finalidades visadas. A fim de colocar a tónica na obtenção de resultados, o programa de trabalho da Comissão enumera também as 45 propostas prioritárias pendentes ao abrigo da declaração conjunta sobre as prioridades legislativas, a serem adotadas pelo Parlamento e pelo Conselho até às eleições europeias. A Comissão propõe também a retirada ou a revogação de 17 propostas pendentes ou atos legislativos em vigor.

Mais informações sobre novas iniciativas e iniciativas REFIT e propostas prioritárias pendentes.

Fonte: CE

Atualizado em 24-10-2018

Visitas: 31

Subcategorias

© Directório União Europeia 2013 | Site desenvolvido por Webtraços, Lda.

Top Desktop version